-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores dos temas aqui apresentados.
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
* 7.355' LETRAS <> 3.257.500 VISITAS * MAIO 2024 *

. . .

É aqui na Mouraria

Letra de Frederico de Brito
Desconheço se esta letra foi gravada.
Publico-a na esperança de obter informação credível

Letra transcrita do livro editado pela Academia da Guitarra e do Fado
Do arquivo de Francisco Mendes


Olha lá: p’ra que te escondes?
Tu não ouves? não respondes?
Porque vais tão embuçado?
É aqui a Mouraria
Onde o Conde de Anadia
Muita vez cantou o fado

Tu vieste de samarra?
Tu trouxeste uma guitarra? 
Se é assim, pelo que esperas?
Tipóias, aqui, não há 
Também não encontras cá
Nem fadistas, nem severas

Vês a Moirama? coitada
Foi aberta e devassada 
No mais sombrio recanto
Já ninguém a toma a sério
Perdeu o ar de mistério 
Que era todo o seu encanto

O Fado, um velho pimpão
Pai duma linda canção 
Não sei porquê, foi-se embora
Eu não sei se foi por teima
Por capricho ou por toleima 
Sei é que já cá não mora

Se o vires práí galante
Feito senhor arrogante
A falar em fidalguia
Diz-lhe que tenha cuidado
Porque há-de ser sempre fado
E filho da Mouraria