- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

O parentesco

Neca Rafael / Miguel Ramos *fado margarida*
Reprtório de Neca Rafael

Há dias visitei um hospital
De doidos, onde vi bastante gente
A curar a doença, o grande mal
Que me fez perguntar a um doente

Porque é que veio p'raqui, meu bom amigo
Ele então fitou os olhos bem em mim
E respondeu: senhor eu já lhe digo
Porque é que eu um dia p'raqui vim 

Casei com uma viúva minha amada
Que tinha uma grande filha e muito bela
Ficou portanto, sendo minha enteada
Mas o meu pai depois casou com ela

Minha mulher é sogra de meu pai
Meu pai é meu enteado, oh que sarilho
Mas porque isto da ideia não me sai
É que a minha madrasta teve um filho

Seu filho era meu irmão, coisa horrorosa
Meu pai era meu genro, que aflição
Meu irmão, era neto de minha esposa
Ora portanto eu era avô de meu irmão

Senti em aguarelas meu miolo
De tanta baralhada e tudo a esmo
Mas o tolo me pôs aquase tolo
Ao dizer que era avô já de si mesmo