- - - - -

- - - - -
<> Clique na imagem e oiça Fado <>
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.650 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Um motivo p'ra saudade

Paco Bandeira
Repertório de Nuno de Aguiar

Quando eu era moço, rapazinho de calção
Ouvia-se o fado como manda a tradição
Vinham os fadistas lá dos bairros populares
Que sem dar nas vistas mostravam como cantar

E tão sem vaidade tocavam o que sabiam
Que toda a cidade vibrava com o que diziam

Essses cantores, trovadores, amadores, os tais vadios
Reis e senhores, lidadores, conquistadores dos desafios
Eram artistas inspirados e valentes
Que não cantavam só p'ra se mostrar á gente;
Antes se davam com grandeza e com verdade
P'la fadistice, p'la dignidade
Claro que são um bom motivo p'rá saudade

Lembro o Zé da Amélia, os Porfírios que eram dois
Joaquim Campos, Chico Martinho depois
O Júlio Vieitas que era fadista escritor
O Filipe Pinto, um grande apresentador

No tempo do Luso era grande o seu talento
Ao lado da Amália e dos maiores do seu tempo