- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.585 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Morada aberta

Carlos Tê / Rui Veloso
Repertório de Mariza

Diz-me o rio que conheço
Como não conheço a mim
Quanta mágoa vai correr
Até o desamor ter fim

Tu nem me ouves lanceiro / Por entre vales e montes
Matando a sede ao salgueiro / Lavando a alma das fontes

Vi o meu amor partir / Num comboio de vaidades
Foi á procura do mundo / No carrossel das cidades

Onde o viver é folgado / E dizem, não há solidão
Mas eu no meu descampado / Não tenho essa ilusão

Se eu fosse nuvem branca / E não um farrapo de gente
Vertia-me aguaceiro / Dentro da tua corrente

E assim corria sem dôr / Sem de mim querer saber
E como tu, nesse rumor / Amava sem me perder

Vai rio, que se faz tarde / Para chegares a parte incerta
Espalha por esses montes / Que tenho morada aberta