- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - - - -
As 5.440 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os
- - - - -
Ninguém sabe tudo, ninguém ignora tudo, só todos juntos sabemos alguma coisa <> PAULO FREIRE *filósofo*
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Miúdos da rua sem nada

Armando Costa / Pedro Rodrigues
Repertório de Gil Costa

Fui um miúdo da rua
Andei no cais da Ribeira
O que passei não me esquece
Sonhei nos braços da lua
Quando a esperança é a fogueira
A noite não arrefece

Fui miúdo, passei fome
O mundo louco, indiferente / Passou por mim sem me ver
Mas vi gente que tem nome
Fazer vergonhas que a gente / Tem vergonha de fazer

No verão, quando a noite é chama
Não há vento, não faz frio / Se acaso havia jornais
Com eles fazia a cama
Puxava o lençol do rio / E dormia junto ao cais

Roubei fruta no mercado
Porque a vida era tão crua / Algumas vezes fui preso
O mundo foi o culpado
Porque aos miúdos da rua / O mundo só dá desprezo