- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.515 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Tu e eu

Alberto Costa / António Pinto Basto
Repertório de António Pinto Basto

Eu passo muito tempo, horas inteiras
A supor que te falo e vejo, e sinto o teu mimoso ser
Imagino-te então, de mil maneiras
E na tela ideal, convulso, pinto, o que não sei dizer

Falo contigo então e, duplamente
Minha’alma se divide e dentro dela escutam-se dois eus
É que de tanto amar-te, ardentemente
Nem sei se tu és eu
Também a estrela se confunde com os céus

Parece-me falar-te, e quando atento
Eu oiço a tua voz melodiosa... escuto a minha voz
Parece-me sentir-te
E quando intento beijar a tua mão branca e mimosa
Encontro as minhas sós

Confundo-me contigo e, caso estranho
Nem sei se vivo ou não... olha procura a minha alma aí
Talvez, quem sabe?... deste amor tamanho
Resulte o tu ser eu
E por ventura o eu viver em ti