- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.590 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Alta roda

Nóbrega e Sousa / António José
Repertório de António Calvário


Não me procures, nem me sigas, por favor
Mesmo que jures, que é sincero o teu amor
Não me convenço, pois nada tenho de meu
E o mundo a que pertenço é tão diferente do teu

Vem ver a rua pobrezinha aonde eu moro
Vem, porque não te demoro

Não tem muito para ver
Eu sei que a tua, fica da minha distante
E é num bairro elegante

Onde gostas de viver;
É tão diferente a tua casa, da minha
Mas a trapeira velhinha

Por nada posso trocar
Entre esta gente, estou talvez, fora de moda
E na vida da alta roda

Para mim não há lugar

Sei que onde moras, só lá vive a altivez
E não deploras, porque até gostas, talvez
No meu cantinho não há lustres nem cristais
Mas não se vive sózinho com os ninhos nos beirais