- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Canal de JOSÉ FERNANDES CASTRO em parceria com RÁDIO MIRA

RÁDIO apadrinhada pelo mestre *RODRIGO*

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
AS LETRAS PUBLICADAS REFEREM A FONTE DE EXTRAÇÃO, OU SEJA: NEM SEMPRE SÃO MENCIONADOS OS LEGÍTIMOS CRIADORES
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ATINGIDO ESTE VALOR // QUE ME FAZ SENTIR HONRADO // CONTINUO, COM AMOR // A SER SERVIDOR DO FADO
POIS MESMO DESAGRADANDO // A TROIANOS MALDIZENTES // OS GREGOS VÃO APOIANDO // E VÃO FICANDO CONTENTES
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6.525 LETRAS PUBLICADAS <> 2.572.800 VISITAS < > SETEMBRO 2022
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Menino perdido

Letra de António Cálem
Desconheço se esta letra foi gravada.
Transcrevo-a na esperança de obter informaçâo credivel


Mal raiava ao longe o dia
Já eu era esse menino
Que cismava e se perdia
Nas brenhas do seu caminho

Nas brenhas do seu caminho / No rasgar de cada fraga
Mal ainda era menino / Já os olhos rasos de água

Já os olhos rasos de água / Já o sonho entre o luar
Já na terra a sua mágoa / Sem braços para a abraçar

Já o sol brilhava a prumo / Ele ardia por te ver
Mas tu mudaras de rumo / Quando o dele era sofrer

Quando o dele era sofrer / Sem saber que ainda era
Cedo para conhecer / A voz dessa Primavera

A voz dessa Primavera / E sentado à beira-mar
O menino ainda espera / A voz que o há-de chamar