- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.350 LETRAS <> 2.245.800 VISITAS <> AGOSTO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Eu fui aos fados

Valentim Matias / Popular
Repertório de Valentim Matias


Eu fui aos fados, certa noite, há muito tempo
E o que então vi não me saiu da memória
Uma mulher cantava de xaile preto
Versos de amor, no velho fado Vitória

O fado é lindo, o fado é verdade
Não tem idade 
Mas tem paixão
Canta ao amor tal qual uma flor
Que lança perfume 
Bem dentro do coração

Ouvi guitarras a trinar doces arpejos
Ouvi silêncio que o silêncio é pra se ouvir
Senti na alma um baque de mil desejos
Senti o fado que o fado é pra se sentir

Como vai longe a noite que então vivi
P’ra todo o sempre a mesma vou recordar
Não sei exprimir tudo aquilo que senti
Nessa mulher de xaile preto a cantar