- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

Disto é que eu gosto

Daniel Martins / Alvaro Martins
Repertório de Nuno de Aguiar

Ó mulher, quando eu morrer
Tu nunca deves vestir
De preto, por sentimento
Veste o vestido mais belo
Encarnado ou amarelo
Para arranjares casamento

Quando eu morrer, meu amor
Tu veste sempre de côr / Para afastar o desgosto
Não me respeites na morte
Quando o rei morre na corte / Outro rei é logo posto

Troca o preto pelo branco
Acredita, falo franco / Não penses ser fantasia
Hoje só quero, minha qu’erida
Que me respeites em vida / Pois é a minha alegria

Não penses que falo a esmo
Pois a ti faço-te o mesmo / Se morreres antes de mim
Pois penso logo em casar
Ponho outra em teu lugar / Porque a vida é mesmo assim