- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.520 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

De mãos vazias

José Guimarães / Rezende Dias
Repertório de Florência

De mãos vazias sem nada de nada
Um pouco de céu pretendo alcançar
São os meus dias, janela fechada
Onde não há madrugada
Onde a luz não quer entrar
Ai os meus dias que são tudo e não são nada
São liberdade amarrada
São silêncios a falar

Olhos fechados... p'rá maldade não ver
Braços cruzados... deixar a vida correr
Lábios cerrados... e não dizer a verdade
Mas ter voz e estar calado é perder a liberdade

Meu grito aberto, meu grito calado
Eu atiro ao vento sem ninguém ouvir
Longe e tão perto, princípio acabado
Onde o meu amor cansado
Anda a sonhar sem dormir
Tudo é deserto no meu sonho povoado
Onde um povo amordaçado
Não sabe cantar nem rir