- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.395 LETRAS <> 2.460.000 VISITAS <> ABRIL 2022 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Fui dizer adeus à barra

Fernando Teles / Popular *fado corrido*
Repertório de Maria Alice

Fui dizer adeus à barra
Ao meu amor condenado
Levei-lhe a sua guitarra
P’ra não se esquecer do Fado

Quando de mim se lembrar
Lá nessas terras de além
Ele há-de dizer ao mar
As notas que o fado tem

E as ondas do mar correndo
Trarão o fado consigo
Para assim ele ir sabendo
Quanto sofre o meu amigo

O meu coração foi dele
Como não foi de ninguém
Porque ninguém como aquele
Cantava o fado tão bem.

Letra recolhida por audição do LP Maria Alice
Fados dos anos 20/30
ANT 001, Valentim de Carvalho CI SARL

Informação de Francisco Mendes e Daniel Gouveia
Livro *Poetas Populares do Fado-Canção*