-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores dos temas aqui apresentados.
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
* 7.255 LETRAS <> 3.120.500 VISITAS * MARÇO 2024 *

. . .

Marcha fúnebre

Pedro Homem de Mello / Joaquim Campos *alexandrino estilado em 4as*
Repertório de João Braga

Vinham dois, vinham quarenta
Vinham já cem mil talvez
E uma poeira sangrenta 
Cobre o solo português

De Este a Oeste, Norte a Sul
Tais como as ondas do mar
Olhar negro, ontem azul
Vinham deitar-se a afogar

Vinham mudos e sombrios 
Com a noite na garganta
Vinham cegos como os rios
Como a sede quando espanta

Vinham sem saber onde iam
Mergulhando o corpo todo
Nas próprias veias que abriam
Como quem se afunda em lodo

Eram eles a fronteira 
Da pátria sem pensamento
Como escravos sem bandeira
Tendo por bandeira o vento

Cidade, cidade minha
Quem o havia de dizer?
Atrás de um, mais outro vinha
E vinha para morrer!