- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Canal de JOSÉ FERNANDES CASTRO em parceria com RÁDIO MIRA

RÁDIO apadrinhada pelo mestre *RODRIGO*

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
AS LETRAS PUBLICADAS REFEREM A FONTE DE EXTRAÇÃO, OU SEJA: NEM SEMPRE SÃO MENCIONADOS OS LEGÍTIMOS CRIADORES
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ATINGIDO ESTE VALOR // QUE ME FAZ SENTIR HONRADO // CONTINUO, COM AMOR // A SER SERVIDOR DO FADO
POIS MESMO DESAGRADANDO // A TROIANOS MALDIZENTES // OS GREGOS VÃO APOIANDO // E VÃO FICANDO CONTENTES
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6.690 LETRAS PUBLICADAS <> 2.655.000 VISITAS < > 01 JANEIRO 2023
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Marcha fúnebre

Pedro Homem de Melo / Joaquim Campos *alexandrino estilado em 4as+
Repertório de João Braga

Vinham dois, vinham quarenta, vinham já cem mil talvez
E uma poeira sangrenta cobre o solo português
De Este a Oeste, Norte a Sul, tais como as ondas do mar
Olhar negro, ontem azul, vinham deitar-se a afogar

Vinham mudos e sombrios com a noite na garganta
Vinham cegos como os rios, omo a sede quando espanta
Vinham sem saber onde iam, mergulhando o corpo todo
Nas próprias veias que abriam como quem se afunda em lodo

Eram eles a fronteira da pátria sem pensamento
Como escravos sem bandeira, tendo por bendeira o vento
Cidade, cidade minha, quem o havia de dizer?
Atrás de um, mais outro vinha... e vinha para morrer!