- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.520 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

O madrugar de um sonho

Letra e música: Joaquim Frederico de Brito
Intérprete: Carlos do Carmo

Sonhei que já alta madrugada
Viera a razão armada / P’ra defender a cidade
Olhei e vi que este nosso povo
Levantara-se de novo / Aos vivas à liberdade

Depois, e já de janela aberta
Ouvi um bradar: alerta / E o eco, p’la rua fora
Gritou p’ra dizer com razão pura
Que uma era de tortura / Terminava àquela hora

Julguei ser um sonho, mas foi realidade
E às vezes suponho que não foi verdade
Mas se alguém disser, não à liberdade
Eu posso morrer mas não é verdade


Saí, e vi uns homens libertos
Todos de braços abertos / Todos a pedir justiça
Alguns, já de saúde perdida
E com metade da vida / Em prisões de luz mortiça

Ouvi milhões de palmas e brados
Trabalhadores e soldados / Vivendo a mesma euforia
Senti que havia um Portugal novo
Vi tão alegre o meu povo / Que até chorei de alegria