As 5.180 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores !!!
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
<> POR FAVOR, alerte-me para qualquer erro que encontre <>
<> Ninguém sabe tudo, ninguém ignora tudo, só todos juntos sabemos alguma coisa <> PAULO FREIRE
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
* Por motivos alheios à minha vontade, o motor de busca nem sempre responde satisfatóriamente *

* A seleção alfabética é da responsabilidade da blogspot !!!
* Caso necessite de ajuda envie a sua mensagem para: fadopoesia@gmail.com *
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


www.lisboa.ribatejo

Diamantina / Nobre Costa
Repertório de João Chora


Nasci no campo, cores garridas, gente franca
Montei cavalos, pus meia branca
E ali ao lado pude ver sete colinas
Bairros antigos, fados varinas


E os fandanguistas que encantavam mil olhares
Nos meus santos populares
E ali ao lado na Lisboa, a tradição
Marchava a fado, preso a um balão


Eu não desminto que Lisboa é mãe do fado
Lá foi criado, lá foi criado
Mas numa arena frente ao toiro, p’lo forcado
Se reza um fado, se reza um fado


Do meu castelo vi o Tejo travar guerra
Levar consigo a minha terra
E ali ao lado outro castelo em seu regaço
Guardava o Tejo do seu cansaço


Filho dum povo que trabalha sem lamento
Faz da terra seu sustento
Se é Ribatejo ou Estremadura, é indiferente
O fado é fado de quem o sente