- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.305 LETRAS <> 2.180.000 VISITAS <> JUNHO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se um dia voltasse atrás

Manuel de Almeida / Popular *fado mouraria*
Repertório de Manuel de Almeida

Não olhes p’ra mim, não olhes
Eu vivo tão bem assim
Olha lá p’ra quem quiseres
Mas não olhes mais p’ra mim 


Depois de tudo acabado / Entre nós, mais nada existe
Recordar um amor triste / Não te esqueças que é pecado

No mundo por Deus criado / Tudo tem começo e fim
E quando passares por mim / Na certeza que bem escolhes
Não olhes p’ra mim, não olhes
Eu vivo tão bem assim 


Voltar atrás era asneira / Sou firme, não tenhas dó
Vale mais uma dor só / Que sofrer a vida inteira 

Nosso amor foi qual fogueira / Que se apagou, teve fim
Mas a vida é mesmo assim / E sendo assim se preferes
Olha lá p’ra quem quiseres
Mas não olhes mais p’ra mim


Se um dia voltasse atrás / Recordando o que sofri
Confesso que era capaz / De ter só olhos p’ra ti

- - - 
Este tema foi gravado a duas vozes por Manuel de Almeida e Fernanda Maria
com o título *Não olhes pra mim, não olhes*