- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.650 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

O verso em que peco

Maria João Dâmaso / Fernando Freitas *fado noquinhas*
Repertório de Mísia

Encontrei-me perdida no céu da noite escura
Aonde te inventei nas estrelas que não vi
A noite adormecida entornava ternura
No meu corpo sem lei, nos meus braços sem ti

Enlaçou-me num afago, a sua imensidão
De silêncio maior que a nudez dos mortais
Como este que em mim trago, feito de solidão
Onde sobeja a dor, por não te saber mais

Gritei então o teu nome, rompendo com o meu grito
O vácuo espelhado nas ondas em quietude
O som desmorenou-se, o meu amor aflito
Há muito sufocado, cantou em voz mais rude

Amor, vem libertar-me desta noite sem eco
Onde estou a sós com ela e o meu fado
Antes de amortalhar-me, traz o verso em que peco
Na tua doce voz que abençoa o pecado