- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.515 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Chinelas da Mouraria

Linhares Barbosa / Santos Moreira
Repertório de Carlos Ramos

Chinelas da Mouraria
Não há vida como a delas
Baquetas em harmonia
Tamborilando as vielas

Felizes ou malfadadas
Podem ser p'la vida fora
Porque elas marcam, coitadas
Os passos que uma mulher
Dá na vida, hora a hora

Vão atrás da procissão
Têm o rufar dos tambores / Solenes pelo caminho
Sentem que ao pisar o chão
Pisam as humildes flores / De alfazema e rosmaninho
É vê-las nos bailaricos
Estalinhos de Santo António / Não fazem mais algazarra
São como dois mafarricos
Nos pézinhos dum demónio / Que no amor se desgarra


Conta-se que certa vez
Numa castiça toirada
Uma chinela atrirada
Feriu a cara do Marquês

Desde então, desde essa era
Com verdade ou fantasia
A chinela da Severa
Entrou na história do fado
Do fado da Mouraria