- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.347.000 VISITAS <> NOVEMBRO 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Elisa

Letra e musica de Neca Rafael
Repertório de Neca Rafael

Oh minha querida Elisa / Se ainda vives sozinha
Nem que eu fique sem camisa / Volta outra vez a ser minha

E se amas mais algum / Nisso não há desavença
É mais um ou menos um / A mim nem me faz diferença

Acho até bem melhor o negócio
Pois dá bem mais regalia
Mas que importa meu amor, ter um sócio
Só p'ra ter a escrita em dia
Não se rala, como vês
Este pobre que te ama
Vem tu e ele, que os três
Cabemos na mesma cama


De haver zanga ou discussão / Escusas de ter receio
Porque é só uma questão / De dormires sempre no meio

E para não dar salsada / Vamos isto repartir
P'ra mim viras-te acordada / Depois p'ro outro, a dormir

Metadinha do teu corpo é meu
A outra metade é dele
P'rás meiguices e carícias, sou eu
E p'ros vestidos, é ele
Tudo bem visto por fim
Não terás impertinência
Uma sociedade assim
Nunca pode abrir falência