- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Canal de JOSÉ FERNANDES CASTRO em parceria com RÁDIO MIRA

RÁDIO apadrinhada pelo mestre *RODRIGO*

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
AS LETRAS PUBLICADAS REFEREM A FONTE DE EXTRAÇÃO, OU SEJA: NEM SEMPRE SÃO MENCIONADOS OS LEGÍTIMOS CRIADORES
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ATINGIDO ESTE VALOR // QUE ME FAZ SENTIR HONRADO // CONTINUO, COM AMOR // A SER SERVIDOR DO FADO
POIS MESMO DESAGRADANDO // A TROIANOS MALDIZENTES // OS GREGOS VÃO APOIANDO // E VÃO FICANDO CONTENTES
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6.525 LETRAS PUBLICADAS <> 2.572.800 VISITAS < > SETEMBRO 2022
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Quando passas por passar

Célia Barroca / Popular *fado mouraria*
Repertório de Célia Barroca


Eu não vivo do passado
Nem duma folha dum trevo
Quatro folhas me dão sorte
Quatro palavras atrevo;
Só duas são o meu nome
Outras duas são segredo

Eu não morro de saudade / Nem do teu amor ausente
Se me vês passas ao lado / Passas como toda a gente
E eu passo na tua frente
Viro costas ao passado

Nem assomos de tristeza / Que eu não morro de saudade
Quando passas por passar / Quatro palavras atrevo
Duas são o meu segredo
Que guardo no teu lugar

Nem assomos de tristeza / Que eu não vivo do passado
Se me vês passas ao lado / Passas como toda a gente
E eu passo na tua frente
Viro costas ao passado