- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Canal de JOSÉ FERNANDES CASTRO em parceria com RÁDIO MIRA

RÁDIO apadrinhada pelo mestre *RODRIGO*

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
AS LETRAS PUBLICADAS REFEREM A FONTE DE EXTRAÇÃO, OU SEJA: NEM SEMPRE SÃO MENCIONADOS OS LEGÍTIMOS CRIADORES
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ATINGIDO ESTE VALOR // QUE ME FAZ SENTIR HONRADO // CONTINUO, COM AMOR // A SER SERVIDOR DO FADO
POIS MESMO DESAGRADANDO // A TROIANOS MALDIZENTES // OS GREGOS VÃO APOIANDO // E VÃO FICANDO CONTENTES
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6.525 LETRAS PUBLICADAS <> 2.572.800 VISITAS < > SETEMBRO 2022
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Fado da saudade

Amadeu do Vale / Fernando Carvalho
Repertório de Maria Dilar

Eu sou a mulher que se não ama
Ele é o rapaz que se não prende
Eu sou a faena, ele é a chama
E os dois um amor que não se entende

Fugiu para um sonho que é mentira
Não viu que eu era uma verdade
Foi para uma ilusão por que suspira
E deixou-me namorando uma saudade

Eu sei que a saudade é um erro ingrato
Não é mas já foi realidade
Pois sim, mas para mim é o teu retrato
Que eu trago na moldura da saudade

E assim, de longe me acarinhas
No meu viver tu continuas
Não sei se tu tens saudades minhas
Sei que vivo só p’ra ter saudades tuas