As 5.170 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores !!!
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
<> POR FAVOR, alerte-me para qualquer erro que encontre <>
<> Ninguém sabe tudo, ninguém ignora tudo, só todos juntos sabemos alguma coisa <> PAULO FREIRE
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
* Por motivos alheios à minha vontade, o motor de busca nem sempre responde satisfatóriamente *

* A seleção alfabética é da responsabilidade da blogspot !!!
* Caso necessite de ajuda envie a sua mensagem para: fadopoesia@gmail.com *
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


A ultima fragata

João Dias / António Chainho
Repertório de Rodrigo

Aquela velha fragata
Abandonada no cais
É imagem que retrata

Algo que não volta mais;
Tão velha como o arrais

Que a contempla entristecido
E á noite, chora no cais

Saudades do rio perdido

Velha fragata

Que o tempo mata, presa no cais
Já não te vejo

Enfeitar o Tejo com teu arrais
As tuas velas

Outrora belas cheias de vento
Pareciam aves

Em voos suaves, rasgando o tempo

Ao sol, á chuva e ao frio
Tempestades e infernos
Na rude faina do rio

Lutaram setenta invernos
Sem reforma que os sustente

No pior dos temporais
Vão morrendo lentamente

A fragata e o arrais