- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.305 LETRAS <> 2.180.000 VISITAS <> JUNHO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Publicidade

José Fernandes Castro / Alves Coelho *fado maria vitória*
Repertório de Zé Carvalho

Formei uma sociedade
De negócios actuais;
Só porque era novidade
Eis a publicidade
Que mandei pôr nos jornais

Casa-se cão com cadela / Porteira dum lindo talho
Usa coleira amarela / E quem quizer saber dela
Que vá falar c'o Carvalho

Vendem-se tubos e latas / De cera, para o soalho
Também temos alpergatas / Quem quiser comprar gravatas
Que vá falar c'o Carvalho

Aluga-se um 1º andar / Lá na Rua do Bicalho
Está prontinho a habitar / Quem quiser ir lá morar
Que vá falar c'o Carvalho

A qualquer desempregado / Nós arranjamos trabalho
Não se discute ordenado / Quem estiver interessado
Que vá falar c'o Carvalho

Depois disto, abri falência / E já nem a mim me valho
Por falta de competência / Vocês tenham paciência
Que eu vou falar c'o Carvalho