- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.590 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Lavava no rio lavava

Amália Rodrigues / Fontes Rocha
Repertório de Amália

Lavava no rio, lavava
Gelava-me o frio, gelava
Quando ia ao rio lavar;
Passava fome, passava
Chorava, também chorava
Ao ver minha mãe chorar

Cantava, também cantava
Sonhava, também sonhava / E na minha fantasia

Tais coisas fantasiava
Que esquecia que chorava / Que esquecia que sofria

Já não vou ao rio lavar
Mas continuo a sonhar / Já não sonho o que sonhava
Se já não lavo no rio
Porque me gela este frio / Mais do que então me gelava

Ai minha mãe, minha mãe

Que saudades desse bem / E do mal que então conhecia
Dessa fome que eu passava
Do frio que me gelava / E da minha fantasia

Já não temos fome, mãe
Mas já não temos também / O desejo de a não ter
Já não sabemos sonhar
Já andamos a enganar / O desejo de morrer