- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.590 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Degraus da vida

Moisés Campelo / Mário Lopes
Repertório de Francisco Martinho

Sobe os degraus desta vida andavas como perdida
Em busca duma afeição
E eu, mulher, resolvi, talvez com pena de ti
Levar-te pla minha mão

Depois amei-te e tão louco, fiz-te esquecer pouco a pouco
As horas más que passaste
E pelo meu braço forte subiste os degraus da sorte
Mas logo me abandonaste

Esses degraus que subiste a minha custa
Foram a prova mais justa
Do meu amor, podes crer
Esses degraus, não te queiras iludir
Tanto servem para subir
Como servem para descer

Na vida há certos degraus, que são falsos que são maus

E tu tens que os pisar
Por isso toma cuidado, que já não tens a teu lado
Meus braços p’ra te amparar

Mas se algum dia voltares a caír, e me encontrares
Não temas o meu rancor
Volta que eu ainda sou o mesmo que te encontrou
E te ofereceu seu amor