- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Canal de JOSÉ FERNANDES CASTRO em parceria com RÁDIO MIRA

RÁDIO apadrinhada pelo mestre *RODRIGO*

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
AS LETRAS PUBLICADAS REFEREM A FONTE DE EXTRAÇÃO, OU SEJA: NEM SEMPRE SÃO MENCIONADOS OS LEGÍTIMOS CRIADORES
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ATINGIDO ESTE VALOR // QUE ME FAZ SENTIR HONRADO // CONTINUO, COM AMOR // A SER SERVIDOR DO FADO
POIS MESMO DESAGRADANDO // A TROIANOS MALDIZENTES // OS GREGOS VÃO APOIANDO // E VÃO FICANDO CONTENTES
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6.515 LETRAS PUBLICADAS <> 2.552.800 VISITAS < > AGOSTO 2022
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Eu já sabia

Frederico de Brito / Martinho d’Assunção
Repertório de Carlos Ramos

Já sei quem és, és aquela / De quem eu fui à procura
E andei por aí atrás dela / Pelas ruas da amargura

Passei por becos e travessas / P’las vielas da má vida
Eu conheci ruas dessas / Que até nem têm saída

Eu já sabia o que foi o teu passado
Um caminho mal trilhado
Que eu mal sei onde vai dar
Eu já sabia que me julgavas ceginho
E ensinaste-me o caminho
Que eu nem quero lá passar

Já sei quem és, mas agora / Não vais dizer que me engano
E que andei a querer-te um ano / P’ra esquecer-te numa hora

Mal de quem sofre de ciúme / Quando paixões acalenta
Ainda tens o mau costume / De ser assim ciumenta