- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

História duma velhinha

Jorge Rosa / Alberto Ribeiro
Repertório de Manuel Fernandes

Sempre que a vejo passar
Tão velhinha e mal vestida
A vender o Borda d'água 
Pelas ruas da amargura;
Sozinho fica a pensar 
Se todos temos na vida
Que pagar com dor e mágoa 
Os momentos de ventura

Ninguém diria
Ao vê-la assim pobrezinha
Que viveu como rainha 
Em tempos que já lá vão 
Ninguém diria
Que aquelas mãos enrugadas 
Um dia foram beijadas
Com amor e devoção 

Já foi bela como aquela 
Que passa agora a seu lado
A rir, com ar descarado 
Sem reparar, por desgraça;
Que a vida passa com ela
E se não toma cuidado 
Vai cumprir o mesmo fbado 
Dessa velhinha que passa