- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.520 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

O meu testamento

Amadeu Augusto dos Santos / Vitor Barros de Oliveira
Repertório de Hermínia Silva

Meu testamento
Sem intuito lisonjeiro
A meu jeito já está feito
Aos amigos verdadeiros
E a contento
Aos que forem contemplados
Dir-lhes-ei quais os legados
Vou deixar aos meus herdeiros

Ao bairro onde eu vivi feita cigarra
Já que eu ali nasci, deixo a guitarra
E deixo a toda a gente pobrezinha
A amizade e a bondade da minha alma de alfacinha;
A Alfama deixo a voz e a alegria
E por fim, à Mouraria deixo o Fado da Tendinha

Meus pobres versos
Que a minh’alma sempre entoa
Vou deixá-los, vou legá-los
Aos retiros de Lisboa
Versos dispersos
Também lego aos meus ardinas
E o meu xaile é p’ras varinas
Do Bairro da Madragoa