-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores dos temas aqui apresentados.
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
* 7.350' LETRAS <> 3.180.000 VISITAS * ABRIL 2024 *

. . .

Quadras variadas

De Henrique Rego
Transcritas do livro *Poetas Populares do Fado-Tradicional* 
de Daniel Gouveia e Francisco Mendes

Por mais pérolas que citem
Tu não julgues minha louca
Que hajam pérolas que imitem 
As pérolas da tua boca

Não existem bailarinas 
Nem nos confins da Europa
Que bailem como as meninas 
Desses teus olhos, cachopa

Tantas mentiras empregas 
Sempre que falas comigo
Que às vezes até me negas 
As mentiras que eu te digo

Se entrasse no teu alcouce 
Conforme pedes que eu entre
Ia trair quem te trouxe 
Nove meses no seu ventre

Se juras, malmequer branco 
Que o meu amor bem me quer
Eu juro que não te arranco 
Nem uma folha, sequer

Recordar com devoção 
Um pretérito bendito
É conter o infinito 
No espaço dum coração

Numa vertigem tão forte 
A vida vai tão depressa
Que à vezes perto da morte 
É que a vida então começa

Santo António milagreiro 
Pelo amor que te dedico
Enfeita-me o céu inteiro 
Com vasos de manjerico

Ao meu querido São João 
Meu devotado patrono
Vou-lhe dar meu coração 
Para lhe servir de trono

Meu amor, no bailarico 
De saia verde, a bailar
Faz lembrar um manjerico 
Regado e posto ao luar