- - - - - - - - - -

- - - - - - - - - -
- - - - - - - - - -

° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.170 LETRAS PUBLICADAS // 1.970.000 VISITAS // OUTUBRO 2020

Atingido este valor // Que me faz sentir honrado // Continuo, com amor // A ser servidor do fado.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que nao constam do índice.

Caso encontre alguma avise-me, por favor.

Se não encontra o Fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

Fado tricotado

Letra e musica de Fernando Tordo
Repertório do autor

Prende-se a alma à ternura
Já presa doutra procura
Cantada noutros silêncios
Fazem-se tristes e duras
As trovas vivas e puras
Que prendo a quem não pertenço

Ai quem me dera amor cantar-te tudo o que penso
Prende-se a voz à poesia, liberta nesta alegria
Parecida sem ser igual
Eu queria brandas e doces, todas as vezes que fosses
A trova amarga e o sal
Ai quem me dera amor, ser beijo, ponto final

Eu queria ser uma guitarra
De tocar aquele trinado tricotado de fazer e desfazer
Eu queria ser uma guitarra que se agarra
Àquele trinado trabalhado de dizer e desdizer

Eu queria ser aquele fado desgarrado
No rasgado tricotado que é toda a gente a cantar
E no trinado desgarrado ouvir o fado tricotado
Trabalhado que tu tens para me ensinar

Prendo-me todo ao meu canto
Liberto deste meu espanto de escrever sonhos cantando
Desaparece o meu pranto
Não quero capa nem manto, quero o azul feito rubro
Ai quem me dera amor
Mulher trinado mais puro