- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.515 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Agradeço à vida

Rosa Lobato Faria / Moniz Pereira
Repertório de Teresa Tapadas


Digo mal da vida quando a vida é tão madrasta
Digo mal da vida quando a vida é tão cruel
Digo mal da vida quando a vida deixa marca
De fel nos sentidos, de grilhões na minha pele

Vieste e acendeste a magrugada
Perfumaste a minha estrada

Aqueceste a minha mão
Falaste, mandaste embora a saudade
Inventaste a liberdade

Foste vinho e foste pão
Sorriste e nasceu uma roseira
Bem juntinho à cabeceira

Desta cama de paixão

Disse mal da vida quando a vida é tão madrasta
Disse mal da vida quando a vida é tão cruel
Disse mal da vida quando a vida deixa marca
De fel nos sentidos, de grilhões na minha pele

Soubeste transformar a minha casa
Fazer dela ninho de asa

Pôr o fogo a crepitar
Quiseste tirar trevas das gavetas
Descobrir as rimas certas

Nos meus versos nasceu mar
Disseste, vem comigo ver a vida
Ela é muito mais bonita

P’ra quem sabe perdoar

Digo bem da vida que me deu o teu sorriso
Digo bem da vida que me deu o teu calor
Agradeço à vida o meu grão de paraíso
Nunca mais difamo a vida que me deu o teu amor