- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ FEVEREIRO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

Padre nosso - sem carinho

Frederico de Brito *fado maria alice* e/ou *fado raquel*
Repertório de Carlos do Carmo

Sem carinho de ninguém
Sou andorinha perdida
Que nem mesmo beiral tem;
Minha vida faz lembrar
Uma guitarra esquecida
Que ninguém quer dedilhar

Cantar, cantar
uma balada tristonha
P'ra não acordar quem sonha d'ilusões que a vida tem
Eu vou rezando um Padre Nosso baixinho
P'ra que as pedras do caminho chorem comigo também

Neste inferno, por meu mal
Sou qual barca sem governo
Á mercê dum temporal;
Sofri tanto, que nem sei
Se faria um mar de pranto
Tanto pranto que eu chorei