Clique na imagem e oiça Fado !!!
* * * * *
<> As 5.440 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores <>
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
<> Ninguém sabe tudo, ninguém ignora tudo, só todos juntos sabemos alguma coisa <> PAULO FREIRE *filósofo brasileiro* 1921/1997 <>
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

<> USE O MOTOR DE BUSCA *barra de links* PARA PESQUISA FÁCIL <>

<> Caso necessite de ajuda envie a sua mensagem para: fadopoesia@gmail.com <>
* * * * *

Maria tripeira

Coelho Júnior / Resende Dias
Repertório de Florência

Texto declamado
Sou a Maria tripeira, como todas as Marias da cidade
A Maria da Sé, Maria da Ribeira, Miragaia ou Bonfim
Porque afinal, toda a Maria tripeira é uma Maria igual a mim

É a Maria que se levanta de madrugada 
Para o trabalho do dia a dia
Alegre, azougada, na boca uma cantiga sadia
Que aquece a madrugada se a madrugada é fria

Sempre a mesma Maria
Maria das Fontaínhas, do Bom Sucesso, do Bolhão
E em todas as Marias há sempre o mesmo coração

É o coração da Maria tripeira 
Aberto e generoso à desgraça alheia
E se é preciso fazer bem a alguém
Esta Maria não espera por ninguém
É sempre a primeira, ou não fosse ela a Maria tripeira

É assim a Maria do Porto que tem por trabalho, brasão
Ama a todos por igual e traz o Porto no coração
É assim esta Maria desta invicta cidade
Que gosta de ser livre e ama a liberdade

Mas a sua liberdade, com ordem e alegria a rodos
Com paz e trabalho para todos
Mas se maus ventos soprarem de quadrantes que o povo não quer
Mesmo que a ventania venha de longe e agreste
Não tenhas medo, Lisboa
Porque o vento cá do Norte tem mais força que o de Leste
-----
----
---
Sou assim desta maneira / Sou do Porto pois então
Sou a Maria tripeira / A Maria do Bolhão
Pulsa dentro do meu peito / Um sincero coração
Que só fica satisfeito / Se todos tiverem pão
Maria Tripeira
Da Sé, da Ribeira, de toda a cidade
Maria mulher que sabe o que quer
Paz e liberdade
Maria Tripeira
Esperança fagueira que todos, um dia
Se dêem as mãos e sejam irmãos 
Na paz e alegria
No 31 de Janeiro / Lutando com fé ao rubro
O nosso burgo tripeiro / Fez nascer 5 de Outubro
Foi neste Porto cidade / Que nasceu um grito novo
Foi a voz da liberdade / Na voz forte deste povo