- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.305 LETRAS <> 2.180.000 VISITAS <> JUNHO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Jesus de misericórdia

Carlos Alexandre Pinto / Alfredo Duarte *marcha do marceneiro*
Repertório de João Chora 

Neste Ribatejo imenso
Cheio de labor intenso
De virtude e tradição
Parou a faina do dia
Já ninguém tem valentia
É dia da procissão

Parou no mundo a discórdia
E o Jesus de misericórdia / Na sua beata unção
Vai p'las ruas e vielas
Olha todas as janelas / Do meio da procissão

Chmusca dos arrozais
Dos vinhedos e trigais / Do sol, da luz, da paixão
Deixa a campina em descanso
Todo o toiro bravo é manso / Ao passar a procissão

Na cruz com olhar sereno
Meigo, bom, o nazareno / Abençoa os pecadores
Jesus da misericórdia
Trazei ao mundo a concórdia / 
Rogai por nós pecadores