- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.485 LETRAS <> 2.524.500 VISITAS <> JULHO 2022 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Vem de expresso

Cátia Oliveira / Manuel Graça Pereira
Repertório de Madur 

Chegou hoje bem cedo ao meu ouvido
Recado que na boca vem de expresso
Já sei do teu regresso
A Laura soube de ouvir à Carmita
Correu na perna à pressa e disse à Rita
Meu Deus, está de regresso

Pintam-se as ruas de cores
Lisboa dos teus amores

Vem logo, vem só ver Maria
É hoje, é hoje o teu dia
Solta a alegria, o sotaque
Por Alfama afora e o peito num baque
Bate-me à porta a fortuna
Despeço a saudade, sou felicidade

Vou sem pensar, atrás do teu abraço
Levo nos caracóis o mesmo laço
Que tu, amor, gostavas
Mas já não vou correr como fazia
Ja não sou mais a pequena Maria
Meu Deus, disseste ao ver-me

Olha só quanto cresci
Vê bem e foi só por ti