-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores dos temas aqui apresentados.
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
<> 7.380 LETRAS <> 3.295.000 VISITAS <> JUNHO 2024 <>

. . .

Quando em Lisboa

Rui Manuel / Martinho d'Assunção
Repertório de Casimiro Silva

Quando em Lisboa amadurecem as guitarras
E a madrugada se entreolha à luz de velas
A solidão é uma sombra que devora
As outras sombras que percorrem as vielas;
Quando em Lisboa amadurecem as guitarras
O fado parte como o Tejo, barra fora

Quando em Lisboa anoitece
O Bairro Alto parece
Chamar Alfama num convite à desgarrada
Se a Mouraria o aceita
A Madragoa aproveita
Lisboa já não vai dormir, fica acordada

Quando em Lisboa o silêncio é um poema
E descobrimos que as palavras somos nós
Só nos amantes pode haver intimidade
Igual ao som duma guitarra e uma voz;
Quando em Lisboa o silêncio é um poema
O fado diz que tomou conta da cidade