- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

Quanto mais coração bates

Fernando Pinto Ribeiro / João Maria dos Anjos
Repertório de João Maria dos Anjos

Coração não batas tanto
Não aguento as pancadas
Que me dás enquanto canto
Minhas saudades coitadas
Aão por ti tão torturadas
Que o fado desfaz-se em pranto

Coração tem mais cuidado
Não acuses nem maltrates / Nosso amor desencontrado
Quanto mais coração bates
Mais tu sofres os rebates / De que és o réu culpado

Coração tem piedade
Sem o nosso entendimento / Morres matando a ansiedade
Não faças do sentimento
Meu veneno e teu sustento / Sangue dum mal que me invade

Coração se não cabemos
Quer te apertes ou dilates / No peito que nos prendemos
Quer me culpes ou resgates
Quanto mais me queres e bates / Mais depressa os dois morremos