- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Canal de JOSÉ FERNANDES CASTRO em parceria com RÁDIO MIRA

RÁDIO apadrinhada pelo mestre *RODRIGO*

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
AS LETRAS PUBLICADAS REFEREM A FONTE DE EXTRAÇÃO, OU SEJA: NEM SEMPRE SÃO MENCIONADOS OS LEGÍTIMOS CRIADORES
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ATINGIDO ESTE VALOR // QUE ME FAZ SENTIR HONRADO // CONTINUO, COM AMOR // A SER SERVIDOR DO FADO
POIS MESMO DESAGRADANDO // A TROIANOS MALDIZENTES // OS GREGOS VÃO APOIANDO // E VÃO FICANDO CONTENTES
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6.525 LETRAS PUBLICADAS <> 2.572.800 VISITAS < > SETEMBRO 2022
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Eh pá do fado

Fernando Farinha / Mário José Lopes 
Repertório de Fernando Farinha 
-
Letra e criação de Fernando Farinha. Música de Mário José Lopes. 
Como curiosidade, refira-se que este fado-canção foi um grande sucesso de Simone de Oliveira
no princípio da sua carreira.
Gravou-o no seu primeiro disco, em 1958, para a etiqueta “Alvorada”.
Informação de Francisco Mendes e Daniel Gouveia
Livro *Poetas Populares do Fado-Canção*
-

O fado perdeu a raça / Aquela graça afadistada
Deixou de ser desordeiro / E companheiro da ramboiada

Estes fadistas de agora / Trazem o fado virado
Nos retiros e salões / Cantam canções em vez de fado 

Eh pá!... não fiques calado 
Eh pá!...canta lá o fado 
O fado era assim meus senhores 
Com vinho da pipa, a correr 
Assim malcriado e avinhado 
É que o fado era fado a valer 

Hoje o fado é p’ra estrangeiro / Para banqueiros e p’ra doutores 
Os fadistas são artistas / Não são fadistas, já são cantores 

É cantado nas boites / E assim armado em finório 
O fado mudou de rumo / Já tem consumo obrigatório