- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.266.500 VISITAS <> SETEMBRO 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Carmencita

Carlos Alberto Botas / João António da Silva
? ou ?
Frederico de Brito / Pedro Rodrigues
Repertório de Amália

Chamava-se Carmencita
A cigana mais bonita
Do que um sonho, uma visão;
Diziam que era a cigana
Mais linda da caravana
Mas não tinha coração

Os afagos e os carinhos
Perdeu-os pelos caminhos / Sem nunca os ter conhecido
Andou buscando aventura
Como quem anda á procura / Dum grão de areia perdido

Numa noite de luar
Ouvira-se o galopar / De dois cavalos fugindo
Carmencita, a linda graça
Renegando a sua raça / Foi atrás dum sonho lindo

Só esta canção magoada
Se envolve no pó da estrada / Por onde passa a caravana
Carmencita, Carmencita
Se não fosses tão bonita / Serias sempre cigana