<> Canal de Rádio criado em homenagem a RODRIGO <>
Clique na imagem e oiça a Rádio Bocas do Fado

<> <> <>
Este espaço foi criado <> Com grande dedicação <> Por alguém que faz do fado <> A sua religião.

<> <> <>
As 5.850 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.

<> <> <>
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa.
Paulo Freire *filósofo* 1921 <> 1997

<> <> <>
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil <> Em caso de dificuldade não hesite em contactar <> fadopoesia@gmail.com

De mim para ninguém

Artur Ribeiro/ Joaquim Campos *alexandrino”
Repertório de Ricardo Ribeiro

De mim para ninguém, mais outro fado triste
Fado que às vezes canto para ninguém ouvir
Muito embora a ninguém, meu coração insiste
Neste fado que em pranto se transforma a seguir

De mim para ninguém que me deixou tristonho
E nem sequer merece meus olhos a chorar
Ninguém que foi alguém e destruiu meu sonho
E o coração esquece que não deve lembrar

Alguém que se perdeu nas ruas da ansiedade
Que viveu a meu lado e a quem eu já quis bem
Alguém que enegreceu as ruas da cidade
Inspirou este fado, de mim para ninguém