- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.580 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Entre tanto

Manuela de Freitas / Armando Augusto Freire *fado alexandrino antigo*
Repertório de Marco Rodrigues

Entre a rosa desfolhada e o espinho que fere a mão
Entre a poeira da estrada e a escada sem corrimão
Entre a mancha na parede e a falha no vitral
Entre o deserto de sede e a montanha de sal

Entre o estore avariado e o moscardo na vidraça
Entre o cigarro apagado e o veneno na taça
Entre a arma que e apronta e a mão que não se estende
Entre o mal com que se conta e o bem que não se defende

Entre o grito e o segredo, presença tão calculada
Entre a loucura e o medo, ausência tão arriscada
Entre o disco repetido e o silêncio pesado
A mesa de pé partido e o verso de pé quebrado

Entre a margem e o fundo, entre mim e tanta gente
Entre esta casa e o mundo, entre tanto tão diferente
Em constante recomeço passa o tempo, muda o espaço
Entretanto eu entristeço, mas não cedo no espaço

E entre o que não é nada
E tudo aquilo que enfrento
Há uma rima encontrada
Um novo fado que invento