<>-----<>-----<> Existe um espaço de 20 segundos entre o começo do Fado e a sua identificação <>-----<>-----<>
Loading ...

5.915 LETRAS // 1.500.000 VISITAS // DEZEMBRO 2019

Rio sem margens

António Calém / Joaquim Campos *fado amora*
Repertório de Miguel Sanches

Deslizam os rios calmos
Do pensamento sem mágoas
E nem reparam nas margens
No correr das suas águas

O vosso fim é o mar / Ó rio que só passais
Sem vos deter sem olhar / As margens que vós deixais

Esse mundo onde a saudade / Desperta em cada flor
Onde há noite e madrugada / E risos frescos e dôr

Mas vós passais, águas calmas / Como passa o pensamento
Das puras e brancas almas / Sem margens de sofrimento