- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.360 LETRAS <> 2.245.800 VISITAS <> AGOSTO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Asas

Maria Luísa Baptista / Georgino de Sousa *fado georgino*
Repeertório de Kátia Guerreiro

É no teu corpo qu'invento
Asas para o sofrimento
Que escorre do meu cansaço;
Só quem ama tem razão
P'ra entender a emoção
Que me dás no teu abraço

Eu quero lançar raízes
E viver dias felizes / Na outra margem da vida
Solta os cabelos ao vento
Muda em riso esse lamento / Apressemos a partida

Aceita o meu desafio
Embarca neste navio / Rumo ao sonho e ao futuro
Corta comigo as amarras
Que nos prendem como garras / A um passado tão duro

Esquece o tempo e a dôr
Pensa só no nosso amor / Vem e dá-me a tua mão
Sobe comigo a encosta
Porque quando a gente gosta / Ninguém cala o coração