- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.305 LETRAS <> 2.180.000 VISITAS <> JUNHO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Que saudades tenho eu

José da Câmara / Miguel Ramos *fado calisto*
Repertório de José da Câmara


Ai que saudades eu tenho
Dos meus tempos de menino
Correndo Lisboa inteira
Procurando brincadeira
Sem horário nem destino

Que saudades tenho eu / Cantei o fado com gana
Uma noite das antigas / No Páteo das cantigas
Do João e Zé Pracana

Eram noites de paixão / Num compasso quase incerto
Vou ligar p’ra combinar / Xico’s bar p’ra começar
E os amigos sempre perto

Campo Pequeno à quinta-feira / Era grande animação
Xafarix era a seguir
O Cajó sempre a partir / Com a sua percursão

Era sítio obrigatório / Estava lá toda a semana
Restaurante, bar e fados / Concerteza estão lembrados
Velho Páteo de Sant’Ana

Passar p’lo Napoleão / P’ra podermos conversar
No Calvário, está-se a ver
Outra jola pr’aquecer / E o Bananas a bombar

O luar adormecia / Fim de noite, grande farra
Ía tudo p’ro Brim Bar / P’ro petisco e p’ra cantar
Mais um copo e uma guitarra

Recordar é sempre bom / Emoções que não desdenho
Lembrar a minha Lisboa / Que p’ra mim foi sempre boa
Ai que saudades eu tenho