- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Canal de JOSÉ FERNANDES CASTRO em parceria com RÁDIO MIRA

RÁDIO apadrinhada pelo mestre *RODRIGO*

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
AS LETRAS PUBLICADAS REFEREM A FONTE DE EXTRAÇÃO, OU SEJA: NEM SEMPRE SÃO MENCIONADOS OS LEGÍTIMOS CRIADORES
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ATINGIDO ESTE VALOR // QUE ME FAZ SENTIR HONRADO // CONTINUO, COM AMOR // A SER SERVIDOR DO FADO
POIS MESMO DESAGRADANDO // A TROIANOS MALDIZENTES // OS GREGOS VÃO APOIANDO // E VÃO FICANDO CONTENTES
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6.515 LETRAS PUBLICADAS <> 2.552.800 VISITAS < > AGOSTO 2022
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Fado da sombras

Aníbal Nazaré / João Nobre
Repertório de Fernanda Baptista
Fado da Revista "Cala o Bico"

Uma sombra, um lamento
Recordação dum tormento
Que eu peço a Deus p’ra esquecer
P’ra que o mundo me não tente
Eu só queria eternamente
Estar na sombra até morrer

Sombras que são ansiedade que voltou
Sombras que a luz da saudade me deixou
Sombras rolando, bailando, erdidas, fugidas
Mum estranho cavalgar
Sombras que passam mas tornam a voltar


Cada sombra é uma tortura
E traz consigo a amargura
Dum velho amor que morreu
Passam sombras delirantes
Que lembram sonhos distantes
Duma s
ombra que sou