-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores dos temas aqui apresentados.
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
* 7.350' LETRAS <> 3.180.000 VISITAS * ABRIL 2024 *

. . .

Sextilhas dum dia sozinho

Duarte / José António Sabrosa *fado tia dolores*
Repertório de Duarte

Estou farto dos pós-modernos
Das relações desprendidas
Das certezas formatadas
Com relativos eternos
Adornamos despedidas
Que não nos servem para nada

Quando se morre com ferros 
Quando com ferros se mata
Ficamos terra queimada.
Os amores são quase eternos 
As manhãs são de ressaca
Terra queimada e mais nada

Há tanta gente sem casa 
E tanta casa sem gente
Contradições e ruídos
Não ligando a quem se atrasa 
Há também quem siga em frente
Dando os casos por perdidos

Tantas portas por abrir 
E tantas casas sem porta
São proibidos amantes
Quem vem por bem pode vir 
Onde vamos não importa
Tragam-me escolhas errantes