- - - - - - - - - -

- - - - - - - - - -
- - - - - - - - - -

° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.200 LETRAS PUBLICADAS // 2.028.600 VISITAS // Janeiro 2020

Atingido este valor // Que me faz sentir honrado // Continuo, com amor // A ser servidor do fado.

.

Quando nasce um homem

Ary dos Santos / Martinho d’Assunção *alexandrino*
Repertório de Maria da Fé

Eu não nasci aqui, o meu lugar é outro
É na terra de fogo onde as palavras ardem
É na ilha de sal onde os ventos me levam
Na estepe de silêncio onde os homens me ladram

É no falcão da noite que voa sobre as águas
No cavalo dos deuses que correm sobre o vento
No flanco da loucura, à direira do mundo
Na espora do silêncio, à direita do tempo

É no ir dos navios que demandam o rumo
Dum cabo de segredos que não podem dobrar
No galope do medo, na viagem do fumo
Nas terríveis passadas do destino a andar

Eu não nasci aqui, o meu lugar é outro
É onde for o sangue, o abismo, o espasmo, o polén
É onde eu não chegar, é onde for o grito
Em que se rasga o mundo quando nasce um homem