- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.305 LETRAS <> 2.180.000 VISITAS <> JUNHO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Afirmas que a pena é leve

Carlos Conde / José Lopes *fado Lopes*
Repertório de Raúl Pereira
No livro dedicado a Gabriel de Oliveira, editado pela Academia do Fado e da Guitarra 
este mote é atribuido a José Rodrigues num poema com o título "A pena do meu penar*

MOTE 
Cavador meu camarada
Não julgues que a pena é leve
Pesa tanto como a enxada
A pena com que se escreve


Dizes de maneira injusta / Que o escrever não custa nada
Sabes lá quanto isso custa /
Cavador meu camarada

Teu braço rasga e perfura / Terras de lodo e de neve
Mas porque a tarefa é dura /
Afirmas que a pena é leve

Do escritor ou do poeta / Também a lida é pesada
Tão pesada que a caneta / Pesa tanto como a enxada

A enxada revolve montes / À enxada o pão se deve
Mas tem a abrir-lhe horizontes / A pena com que se escreve