- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.305 LETRAS <> 2.180.000 VISITAS <> JUNHO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Feitiço *Fado Faia*

Linhares Barbosa / Martinho d’Assunção *fado faia*
Versão do repertório de Manuela Cavaco
-
Quando Berta Cardoso criou este fado, o seu título era “Feitiço”.
Depois, deram-lhe o nome de Fado Faia e assim ficou conhecido
I
nformação de Francisco Mendes e Daniel Gouveia
Livro *Poetas Populares do Fado-Canção*

- - -
- -
-
Vieram dizer-me há pouco
Que andavas louco por certa dama
Muito nobre e muito bela
E que vinhas com ela aqui para Alfama

Não adivinho quem seja
Nem tenho inveja, mas dá nas vistas
Que uma senhora tão chique
Cante ao despique com as fadistas

Estes becos e travessas 
Não são p’ra essas senhoras finas
Alfama é das cantadeiras
Das costureiras e das varinas
Se é só para te agradar 
Que anda a cantar, diz-lhe que não
Que não cometa o pecado 
De usar o fado como brasão

A guitarra nos teus dedos
Tem mil segredos e faz feitiço
A ela todos se prendem
Todos se rendem sem dar por isso

Se foi a tua guitarra
Bruxa bizarra, que ao fado a trouxe
Que seha muito feli
Já que Deus quis que eu o não fosse


Há, em relação com este fado, um pormenor que merece ser conhecido: 
Foi editado em Espanha, em 1958, com o título “Fado Faia” e letra em castelhano 
de C. Mapel, por PRESTO Editorial Música – Madrid, sendo distribuído em Espanha 
por “Canciones del Mundo”– Barcelona.