- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Canal de JOSÉ FERNANDES CASTRO em parceria com RÁDIO MIRA

RÁDIO apadrinhada pelo mestre *RODRIGO*

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
AS LETRAS PUBLICADAS REFEREM A FONTE DE EXTRAÇÃO, OU SEJA: NEM SEMPRE SÃO MENCIONADOS OS LEGÍTIMOS CRIADORES
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ATINGIDO ESTE VALOR // QUE ME FAZ SENTIR HONRADO // CONTINUO, COM AMOR // A SER SERVIDOR DO FADO
POIS MESMO DESAGRADANDO // A TROIANOS MALDIZENTES // OS GREGOS VÃO APOIANDO // E VÃO FICANDO CONTENTES
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6.525 LETRAS PUBLICADAS <> 2.552.800 VISITAS < > AGOSTO 2022
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Amor sem casa

Teresa Rita Lopes / Alain Oulman
Repertório de Amália

O amor sem rosto, o amor sem casa
Pássaro pequeno de asa tão leve

De asa tão leve p'ra onde me levas
O amor sem casa, o amor sem tréguas

O amor sem tréguas, o amor sem guerras
Asa sem destino, p'ra onde me levas

P'ra onde me levas, deixai-me ficar
Não quero amanhã
Não quero amanhã, hora de chegar

Hora de chegar a lugar nenhum
Não sou de ninguém, deixai-me ficar

Deixai-me ficar, não sei porque vim
Deixai-me partir, não sei porque vou

Não sei porque vou, que vento me leva
O amor sem rosto, o amor sem tréguas

Não sei onde vou, que sopro me arrasta
O amor sem rosto
O amor sem rosto, o amor sem casa